terça-feira, 18 de setembro de 2012

Inauguram hoje pelas 18h

Tocar tu piel
Santiago Mayo



Tocar a tua pele, a pele do mundo.
Não posso tocar a tua pele sem tocar a minha ao mesmo tempo, sem a sentir.
Quem toca e quem é tocado? Talvez seja a pele  que nos toca. Quem sabe?
Como posso tocar-te se as minhas sensações são só minhas? O que tu sentes quando te toco não me pertence. Só o posso imaginar, aproximar-me através do que  sinto, da minha experiencia. Não posso ser tu. Tu és outro, outra. Mas gosto de acreditar que tu és eu e eu sou tu. Quem sabe? Mesmo assim não estou certo de te tocar: desde que te toco até que o sinto passa um tempo, há um espaço no meio. Estou acostumado a não o sentir ainda que saiba que há um espaço e um tempo que nos separa.
Tudo acontece no passado, num outro lugar e eu encontro-me isolado.

Santiago Mayo








Reflexos do vento
Francisco Teotónio Pereira





Todas as imagens, captadas junto ao mar, revelam-nos que estamos constantemente rodeados de uma sucessão de instantes que, paradoxalmente, nunca se repetem. Estes momentos únicos e singulares mostram-se tridimensionais como as ondas do mar, ou geradores de texturas geométricas, abstractas e psicadélicas, nas apropriações desse mesmo real irrecuperável. Questiona-se plasticamente uma realidade que, assim como o vento que dá nome à presente exposição, não se vê mas conhecem-se os seus efeitos.
Nesta mostra, o artista traz a público diversas obras onde a estética fotográfica se cruza com a sensibilidade poética da percepção sensitiva e com a abstractização do real da exploração pictórica.

Sem comentários:

Enviar um comentário