sexta-feira, 18 de novembro de 2022

ABERTURA DE NOVAS EXPOSIÇÕES NA GALERIA DIFERENÇA || NOV & DEZ

 




ESTE QUE VÊS É O MEU RETRATO
Os Anos Setenta na Coleção da Galeria


Patente de 25 de Novembro a 23 de Dezembro de 2022

Curador 
Victor dos Reis 
Inauguração  
24.11. 22  das 18.00 - 21.00



A exposição Este que Vês é o meu Retrato (verso de um poema de Ana Hatherly) tem curadoria de Victor dos Reis e é constituída por obras sobre papel (em diferentes técnicas de gravura) pertencentes ao acervo da Galeria Diferença e produzidas nas suas oficinas. Com o subtítulo Os Anos Setenta na Coleção da Galeria, a exposição reúne obras realizadas na década de setenta do seculo XX por alguns dos artistas que em 1979 fundaram a galeria, e por outros que aí iniciaram ou deram passos significativos nas suas carreiras.

Criada quatro anos depois da Revolução, a Diferença, foi o primeiro espaço
artístico gerido diretamente por artistas (sob a forma cooperativa) que combinava no mesmo espaço áreas de galeria com as destinadas a oficinas e cursos de criação artística – especialmente de gravura, serigrafia, litografia e fotografia, tecnologias que permitiam a produção em série e, consequentemente, a rápida e barata disseminação das imagens artísticas na nova e democrática cultura visual.

À sua maneira, Este que Vês é o meu Retrato: Os Anos Setenta na Coleção da
Galeria, é um retrato do encontro neste espaço e por vontade própria, de artistas de duas gerações consecutivas, num momento particular do tempo das suas vidas e da cultura do seu País. Artistas que se revelariam fundamentais na arte contemporânea portuguesa e cuja criação no domínio da gravura é ainda pouco conhecida ou considerada periférica na sua obra.




Artistas

Ana Hatherly (1929-2015)
Ana Vieira (1940-2016)
Ângelo de Sousa (1938-2011)
António Cerveira Pinto (1952-)
Artur Rosa (1926-2020)
Eduardo Nery (1938-2013)
Ernesto de Sousa (1921-1988)
Helena Almeida (1934-2018)
Jorge Pinheiro (1931)
José Caldas (1945)
José Conduto (1951-1980)
Julião Sarmento (1948-2021)
Leonel Moura (1948)
MAN (1941)
Manolo Calvo (1934-2018)
Monteiro Gil (1943)
Salette Tavares (1922-1994)




 




Gravura, onde me levas ? 

Patente de 23 de Novembro a 21 de Dezembro de 2022

Artista
Pissarro 

Inauguração  
23.11. 22  das 18.00 - 21.00


A gravura e os seus numerosos e variados processos técnicos conduzem-nos amiúde por caminhos inesperados.
Cortes e recortes, colagens, manchas, monotipias, grafites... desenvolvem-se em surpreendentes composições/desenhos onde se misturam o real e o onírico. 
A matéria é limitação e desafio. 

sexta-feira, 14 de outubro de 2022

Exposição | a ponto luz bordado | Isabel Pyrrait | 14.10 - 19.11.2022



 

QUEDA | ROGÉRIO TAVEIRA | 14.10 - 19.11.22







 QUEDA 

14.10 - 19.11.2022
de Rogério Taveira 



QUEDA evoca a inexistência de uma plano de referência estável através de um grupo de trabalhos que partiram de um exame ao trabalho mineiro e a memória de uma queda quase fatal durante a infância. É no abismo entre as duas referências que surgem óbvias analogias aos colapsos ecológicos e ideológicos em curso.

sábado, 17 de setembro de 2022

IMAGENS DA EXPOSIÇÃO SORRI / Formas de Medir o Tempo

 EXPOSIÇÃO 

SORRI / Formas de Medir o Tempo
07.09 - 05.10.2022

de Sílvio Salgado
























na foto: Silvio Salgado, Ms Satu Suikkari- Kleven, Embaixadora da Finlândia em Portugal, Rita Almeida Filipe e Catarina Castel-Branco (membros da direção da Diferença) 





quinta-feira, 25 de agosto de 2022

SETEMBRO NA DIFERENÇA COM A INAUGURAÇÃO DA EXPOSIÇÃO SORRI / Formas de Medir o Tempo

 




EXPOSIÇÃO 
SORRI / Formas de Medir o Tempo
07.09 - 05.10.2022

de Sílvio Salgado

Inaugura no dia 7 de Setembro de 2022, das 16h às 20h

Ás 18.30h -  discurso de Ms Satu Suikkari- Kleven, Embaixadora da Finlândia em Portugal



Ao longo da parede da galeria, uma linha horizontal pintada e que parece continuar infinitamente. Num amplo papel emoldurado, uma gravura de camadas múltiplas cujo padrão parece transcender a superfície para uma nova dimensão. Os trabalhos de Sílvio Salgado são efémeros e infinitos, contudo são intervenções físicas que têm um princípio e um fim, uma existência no espaço e no tempo. No espectador, os trabalhos provocam sensações tanto visuais como conceptuais.
SORRIR é um momento passageiro ou um estado mental. É a alegria de realizar uma exposição adiada devido à pandemia. SORRIR expressa o alvoroço com os sofrimentos e manifesta a efemeridade da vida. 


Catálogo da exposição disponível 



https://www.vienna-international-apartment.net/


Mecenas 

Art Promotion Centre Finland 

Vienna International Apartment 

Embassy of Finland Lisbon 




EXPOSIÇÃO DE GRAVURA | SETEMBRO NA DIFERENÇA





 


EXPOSIÇÃO DE GRAVURA 
07.09 - 05.10.2022

das Oficinas de Gravura da Diferença 

Inaugura no dia 7 de Setembro de 2022, das 16h às 20h